Eu, o SUS, e todos vocês (sobre o texto anterior)

by Nina Crintzs

Queridos todos,

Tô surpresa, impressionada e comovida com a quantidade de gente que leu o texto e respondeu, comentou e compartilhou suas próprias histórias – tantas boas, outras nem tanto, algumas terríveis.

Fico feliz pelas pessoas que conseguiram vencer suas doenças ou, pelo menos, fazer valer seus direitos constitucionais. São histórias inspiradoras, tocantes mesmo. E olha que eu tenho a pele grossa… (metaforicamente falando, claro.)

E as histórias tristes me fazem pensar em quão distantes estamos do ideal. A vida é de uma aleatoriedade absurda. Já chutei a mesa, fumei três maços de cigarro, perdi o sono mesmo com todos os comprimidos do mundo. Tá tudo errado para todos nós quando tá errado demais para um só.

Tem mais de 1300 coments esperando por mim aqui – e eu prometo que vou ler um por um. Vai levar um tempinho, mas eu chego lá. Vou publicar tantos quantos forem possível, mas não vou conseguir responder todos. Espero que vocês entendam.

Mas por favor, continuem me escrevendo, perguntem o que quiserem: nomes dos médicos, tratamentos, dicas sobe a cor do meu cabelo. Eu respondo assim que der, ok?

E, olha, obrigada por esse carinho todo – dos amigos, dos conhecidos, de um monte de gente que eu não conheço. Eu tô bem. Eu tô ótima. Eu tô vivendo os 70% full blast.

A vida tem que ser uma festa, e o humor tem que vencer o medo – senão nada faz sentido, mesmo.

Cheers!!

Advertisements